• Clarissa Ferreira

Descubra Manali, o paraíso mochileiro no norte da Índia


Se um jovem backpacker fizesse uma lista com tudo o que sonha encontrar em um lugar, uma pequena cidade no norte da Índia poderia assinalar todos os ítens com propriedade. Aos pés dos altos picos do Himalaia, se esconde Manali, um dos maiores redutos mochileiros do país, que disputa com Goa e Rishikesh a atenção dos viajantes independentes em busca de preços baixos e experiências autênticas.

(Old Manali)

Quem chega em busca de aventura, não se decepciona. A cidade está localizada no vale do Kullu e às margens do rio Beas, o que significa geografia perfeita para explorar picos nevados e águas caudalosas. Nas muitas agências de turismo da cidade é possível agendar raftings, trekkings, escaladas, ski e paraglinding. Sem contar que é de lá que saem as imperdíveis expedições rumo a Spiti e Ladakh.

Como os jovens viajantes são maioria por lá, muitos bares e cafés disputam espaço e a freguesia pelas pequenas ruas de Old Manali, todos com o mesmo estilo relaxado que um mochileiro sonha encontrar ao fim de uma cansativa expedição nas montanhas. Almofadas coloridas, cardápio internacional, cheiro de shisha no ar e muito rock'n'roll e folk ao fundo. A cerveja nem sempre é gelada o suficiente devido aos picos de luz comuns na região, mas garante casa cheia até altas horas na madrugada. Nas noites mais frias é comum encontrar fogueiras aquecendo pequenos shows com artistas locais ou músicos estrangeiros principiantes em busca de uns trocados para seguir viagem.

(Rendezvous Café, Manali)

Até mesmo no quesito compras, Manali oferece opções interessantes como lojinhas abarrotadas de souvenirs locais, coloridos salões de beleza, pequenas confecções onde a produção de camisas xadrez vara a noite, muita bijuteria e piercings.

A verdade é que Manali, mesmo já bastante popular entre turistas locais e estrangeiros, ainda mantém um alma hippie mais autêntica do que muito reduto backpacker famoso da Ásia, especialmente as regiões de Old Manali e Vashisht. Basta explorar as ruas e trilhas nas redondezas para encontrar grupos meditando nas montanhas, tocando violão pelas calçadas, pintando paredes com cores psicodélicas e até mesmo fumando um cigarrinho nada suspeito em uma mesa de bar sem preocupação.

(Vashisht)

ONDE FICAR

O centro de Manali é tomado por hotéis, pousadas, restaurantes e agências de viagens e é mais popular entre turistas locais e casais em lua de mel. Vá direto para Old Manali se quiser aproveitar o lado mais descolado e jovem da cidade. A rua principal começa logo após a ponte, a uns dez minutos de tuk tuk do centro, dependendo do trânsito. Lá estão as melhores opções de hotel e pousadas assim como bares e restaurantes.

O Dragon Inn (onde nos hospedamos) oferece bom custo benefício e ótima localização, logo ao lado de uma german bakery que vara a madrugada e de uma concorridíssima lavanderia.

Divirta-se escolhendo seu lugar favorito para tomar um café, comer um thali indiano, uma pizza ou tomar uma cerveja. O que não faltam são opções... O nosso eleito foi o bar Rendezvous, com seus futons coloridos, ótimo som e shisha bem preparada. Já o melhor café ficou por conta do concorrido Dylan's Toasted & Roasted.

Aos que procuram sossego, silêncio, yoga e meditação, a melhor ideia é seguir até Vashisht, onde ficam os hostels mais baratos, ashrams e muitas cachoeiras.

(Dylan's Toasted & Roasted Cafe)

SEGUINDO VIAGEM

Se você chegou até Manali, é porque gosta de aventura e não se importa com um eventual perrengue na estrada. Então, mantenha a energia da viagem e encare o belíssimo percurso Spiti - Ladakh de 4x4. Caso esteja na região durante o verão, outra boa opção é fazer a passagem por por terra até Leh, na Cachemira. Outro destino possível é McLeod Ganj, pequena vila nos arredores de Dharamsala onde vive a maior comunidade tibetana da Índia, inclusive o próprio Dalai Lama.

#india #malani #mochilão

© 2013 by A Culpa é do Fuso Proudly created with Wix.com